‘Eu tirei ela de lá por causa da violência’, diz pai de grávida morta em comunidade do Rio

Fonta: Portal G1: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2021/06/09/eu-tirei-ela-de-la-por-causa-da-violencia-diz-pai-de-gravida-morta-em-comunidade-do-rio.ghtml

Kathlen Romeu, de 24 anos, morreu ao ser atingida por uma bala perdida no Rio em tiroteio entre PMs e criminosos. Família é alvo de ataques em redes sociais e namorado grava vídeo afirmando que família precisa de paz, pede menos ódio e respeito à memória da jovem.

O pai da designer de interiores Kathlen Romeu, de 24 anos – que morreu ao ser atingida por uma bala perdida no Rio – chegou ao Instituto Médico Legal (IML) no começo da manhã desta quarta-feira (9) para liberar o corpo da filha e lembrou que quis tirar a filha da comunidade justamente por causa da violência.

“Noventa e nove por cento da comunidade são pessoas de bem. A mesma operação que tem constantemente na nossa área na Zona Sul não tem. Eu tirei ela de lá por causa da violência. Minha filha era a coisa mais especial da minha vida. Uma pessoa do bem, inteligente”, disse Luciano Gonçalves.

A designer de interiores foi baleada durante uma operação da Polícia Militar enquanto passava na rua com a avó na comunidade do Lins de Vasconcelos, Zona Norte do Rio. Ela foi levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas foi a óbito.

Luciano contou que a família considerava a gestação de Kathlen como uma “benção de Deus”, mesmo a jovem estando apreensiva por ter que ficar em casa por causa da pandemia.

“Minha filha era a coisa mais especial da minha vida. Cheia de sonhos, uma pessoa do bem, inteligente, que tinha o sonho de ser blogueira, modelo. Estava na melhor fase da vida dela”, afirmou o pai de Kathlen.

Namorado pede menos ódio

Pai do filho que a jovem esperava, Marcelo Ramos, postou um desabafo nas redes sociais pedindo que as pessoas respeitem a dor da família e que não despejem ódio sobre a jovem morta em um confronto entre policiais e criminosos.

“Eu peço que respeitem a memória da Kath. Não despejem ódio porque ninguém merece isso. Vocês não têm ideia do que a gente está passando. E o que a gente vai passar vai ser muito pior daqui para frente. Respeitem a dor da família. Principalmente da mãe da Kath, que foi obrigada a ler comentários de pessoas falando besteira”, afirmou Marcelo.

Kathlen estava grávida de quatro meses e fez uma postagem no Instagram no dia em que morreu. “Bom dia, neném”, escreveu a vítima.

Kathlen estava com a avó no momento que foi baleada. Ela fez um desabafo nesta terça (8) enquanto estava no IML.

“A minha rua tá muito perigosa, eu não queria ter perdido minha neta e perdi desse jeito estúpido. Eu perdi minha neta num tiroteio bárbaro”, contou.

Ela confirmou que Kathlen se mudou do local por causa da violência.

“A gente estava indo na firma da minha filha. Quando nós passamos a rua estava tranquila. Foi tudo muito de repente. A minha neta caiu, começou muito tiro. Quando eu puxei ela caiu, eu me machuquei ainda, me joguei para proteger ela, que está gravida. Eu só vi um furo no braço dela e gritei para eles me ajudarem a trazer. Perdi minha neta e meu bisneto”, acrescentou a avó, chorando.