Pioneirismo da UNB na implantação de cotas raciais no país é tema, nesta quinta-feira, 10/6, do podcast Cotas Sim

Universidade criou as cotas oito anos antes da aprovação da Lei que instituiu a medida no país em 2012

No episódio desta quinzena do podcast Vidas Negras Importam, do Movimento AR, o entrevistado é o ex-reitor da Universidade de Brasília, Timothy Mulholland, um dos idealizadores da proposta do sistema de cotas raciais em cursos de graduação, implantado na UNB em 2004.

Além de abordar os desafios e a resistência de diversos setores da sociedade à ideia da reserva de cotas raciais – apenas 2% dos estudantes da instituição se identificavam como negros – Mulholand lembra que a realização de pesquisas sobre as características excludentes das universidades públicas contribuiu para a compreensão da necessidade de adoção da medida.

“Os primeiros resultados apareceram no final de 2004, quando os alunos cotistas apresentaram desempenho equivalente e até superior aos demais, reforçando nosso argumento de que o problema era falta de oportunidade e não de preparo dos estudantes”, explica o ex-reitor.

A entrevista pode ser acessada pelo link Episódio #13 

Campanha – O podcast Vida Negras Importam é um dos instrumentos de divulgação da Campanha Cotas Sim, do Movimento AR, mobilização voluntária contra o racismo, coordenado pela Universidade Zumbi dos Palmares, em defesa da prorrogação da Lei de Cotas que será debatida no Congresso em 2022.

Com periodicidade quinzenal, os programas contam com a participação de autoridades e especialistas para tratar do assunto sob diferentes aspectos.

A série temática teve início com o ex-ministro da Educação Cristovam Buarque, que falou sobre os mitos que envolvem a política de cotas, seguido pelo jurista Ayres Britto, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, que abordou a importância das cotas como política de Estado.