Foto divulgação Movimento AR

Nota de repúdio a atos racistas

Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, o advogado e mestre em educação José Vicente, declara em nota total repúdio aos dois atos de intolerância racial que tiveram grande repercussão na internet e na mídia esta semana. Nos dois casos de racismo estrutural, os jovens negros, trabalhadores, sofreram discriminação e agressão simplesmente por sua cor.

O Movimento AR, criado há pouco mais de um mês, luta justamente para combater situações como essas. Em nossas Metas contemplamos a mudança dos protocolos de abordagem por meio da segurança privada e já estamos em parceria com um grupo que administra seis shoppings e diversos prédios comerciais para fazer um ajuste na conduta dos profissionais. Outra Meta de nosso Movimento AR é a educação e qualificação das pessoas para acabar com o fim do ódio racial.

Segundo o Reitor José Vicente “é inadmissível que, em pleno ano 2020, mais de 130 anos após o final da escravidão do Brasil e poucos meses após a morte do americano George Floyd, tenhamos que conviver com situações como essas num país onde Negros e pardos somam 55% da população”. “Nós Brasileiros já temos tantos motivos para lutar para sobreviver, principalmente neste cenário de pandemia, com o crescente número de desempregados e, mais uma vez, temos que reforçar nossa luta pela dignidade da pessoa humana”, completa o reitor.

Relembro os casos: Em Valinhos, no dia entregador de aplicativo Matheus Pires, de 19 anos, no dia 31/7, foi ofendido pelo morador de um condomínio quando entregada o pedido realizado por ele. No Rio de Janeiro, trabalhador Matheus Fernandes, de 18 anos, foi a um shopping trocar o presente que ele mesmo havia comprado para presentear seu Pai nos Dia dos Pais. Os seguranças o acharam suspeito e, mesmo mostrando a nota fiscal do produto que havia comprado, sofreu agressões nas escadas do shopping por parte dos seguranças, que só pararam quando perceberam estar sendo filmados.

Não podemos permitir que essa situação continue acontecendo como nossos irmãos, filhos e netos.