Movimento AR repudia o ataque o racista sofrido pelo Tenente Coronel da PM, ontem, durante palestra virtual na USP

José Vicente, líder do Movimento AR, se solidariza com o Tenente-Coronel da PM, Evanilson de Souza, pelos ataques racistas sofridos por ele na noite de ontem (9/2), durante palestra internacional virtual, realizada pela USP. José Vicente declara: “é inadmissível que uma ação racista e discriminatória como essa aconteça num ambiente criado justamente para realizar ações afirmativas de combate à intolerância racial”.

“O Tenente-Coronel foi vítima da agressão covarde e anônima, quando apresentava o programa de combate ao racismo, que desenvolve dentro da corporação e que está em alinhamento com o Comitê Segurança do Futuro, criado pelo Movimento AR, Secretaria de Segurança Pública de SP, PM SP e oito universidades”, conclui Vicente. 

“O racismo estrutural está presente em todas as esferas e precisa ser combatido”.  “Se, num ambiente voltado à discussão do combate e propostas de mudanças concretas para melhora das vidas negras, um Tentente-Coronel sofreu esse ataque, o que pode estar acontecendo com tantos anônimos em nosso Brasil”, finaliza o líder do Movimento AR.

Movimento AR é uma mobilização voluntária, com propósito de realizar mudanças e transformações sociais através de ações efetivas de combate ao racismo, ao preconceito e à discriminação racial contra negros. O movimento é liderado pela Universidade Zumbi dos Palmares e pela Ong Afrobras.

Meta 02 do Manifesto elaborado pelo Movimento AR

Mudança dos protocolos de abordagem da segurança pública

Para impedir técnicas de sufocamento e estrangulamento em abordagens policiais, bem como, disparos letais de arma de fogo em abordagens, ou disparos de arma de fogo em invasões, ocupações, favelas e comunidades.

Movimentoar.com.br

@movimento.ar