foto noticia pm

Movimento AR consegue o fim do enforcamento nas abordagens policiais

Comando da PM proíbe o “mata leão” em São Paulo.

Atendendo a um clamor da sociedade, representada por mobilizações como o Movimento AR, liderado pelo reitor José Vicente da Universidade Zumbi dos Palmares, o comando da Polícia Militar proíbe, em São Paulo, o uso de técnicas de defesa pessoal como o “Mata Leão”, que provoca o enforcamento com os braços. Além do “Mata Leão” foram proibidos também o soco frontal e os movimentos que usam as pernas, os ombros ou quadris para derrubar o suspeito. A determinação foi assinada pelo subcomandante da corporação, o coronel Marcus Vinícius Valério.

O Movimento AR está completando um mês esta semana e, ao longo desse período o reitor José Vicente, focado na Meta 1 do Manifesto: Mudança nos Protocolos Policiais –  apresentou o Movimento AR ao secretário da Segurança Pública do estado de São Paulo, general João Camilo Pires de Campos, ao Ministro Dias Toffoli, ao comando da PM de SP e ao Procurador Geral de Justiça de SP – Mario Luiz Sarrubo.

Ao longo desses trinta dias o Movimento AR comemora também a assinatura com a CCP – Cyrela Commercial Properties que administra: Shopping Cidade São Paulo, Shopping D e Tietê Plaza Shopping, na capital paulista; Grand Plaza Shopping, em Santo André; Shopping Metropolitano Barra, no Rio de Janeiro; e Shopping Cerrado, em Goiânia. A parceria consiste em  ações relacionadas à segurança,  abertura de vagas de estágio e trainees nos shoppings. Por meio do ICCP, a CCP é o primeiro grupo comercial a oficializar a intenção de colocar em prática a 2ª Meta do Movimento AR, que é a mudança nos protocolos da segurança privada.

Conheça o Manifesto do Movimento AR

Ações e estratégias:

            Ação Zero: Prorrogação da Lei de Cotas nas Universidades Públicas Federais.

01.  Mudança nos Protocolos Policiais

Para impedir técnicas de sufocamento e estrangulamento em abordagens policiais,

bem como disparos de arma de fogo em invasões ou ocupação de favelas e comunidades.

02.  Mudança nos Protocolos da Segurança Privada

Para acabar com a hostilização, perseguição e constrangimentos nos ambientes públicos e privados, incluindo a eliminação da sala de agressão e tortura presente nos Bancos, Shoppings e Supermercados.

03.  Criação de 500 mil Bolsas de Estudos

Para qualificação de jovens negros em graduação, pós-graduação, pesquisa, formação tecnológica, economia criativa, negócios e empreendedorismo.

04.  Criação de 300 mil Vagas

De estágios, trainees e profissionais negros nas empresas públicas e privadas.

05.  Formação e Qualificação

De um milhão de quadros corporativos em Discriminação e Racismo e Gestão da Diversidade Racial.

06.  Implementação de Recursos por meio de ferramentas, mecanismos, metodologia de gestão, gerenciamento da inclusão, desenvolvimento de carreira, ações e políticas de diversidade racial em 300 empresas públicas e privadas.

07.  300 milhões em Compras Corporativas

Do ambiente público e privado, de serviços e produtos de empresas e empresários e profissionais negros.

08.  Fundo Vidas Negras Importam de R$ 200 milhões

Para o fomento, apoio e financiamento educacional, empreendedor, tecnológico e de economia cultural criativa para jovens negros.

09.  Implementação Integral da Lei da História do Negro e História da África e da Disciplina de Relações Étnico Racial em todo ambiente escolar e universitário público e privado do país.

10.  Campanha de Instalação da Rua Zumbi

Do Selo da Igualdade Racial, ampliação e expansão da Virada da Consciência.