Live Movimento AR: O Desafio da Mulher Negra no Brasil

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher (8/3), o Movimento AR reuniu cinco mulheres negras símbolos de luta e conquista em suas áreas de atuação para um bate papo animado sobre: Os Desafios da Mulher Negra no Brasil.

O elenco formado pela jornalista Joyce Ribeiro, apresentadora do Jornal da Tarde, da TV Cultura,  pela empresária Deise Nunes, primeira Miss Brasil negra; pela Comandante Elza, primeira mulher a assumir o comando da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo; pela enfermeira Mônica Calazans, primeira pessoa vacinada contra a covid-19 no Brasil e pela cientista Sônia Guimarães, primeira mulher negra brasileira doutora em Física e primeira mulher negra brasileira a lecionar no ITA.

Assista a live completa:

Sônia, que sofreu uma série de retaliações de pessoas com cargos superiores e inferiores ao seu,  por ser a primeira mulher negra a lecionar no ITA, onde questionavam sempre a sua capacidade, falou sobre um ponto crucial para a promoção de verdadeiras mudanças a representatividade e a necessidade de lutar por direitos iguais, inclusive na política.  

Joyce, que com brilhantismo comandou a live, falou sobre a dificuldade de fazer com que as pessoas respeitem  a posição conquistada por mérito e direito e reforçou a necessidade de fortalecer as crianças e jovens para que continuem essa luta, vendo tudo o que já foi conquistado e o longo caminho pela frente.

Deise   vê com muita esperança o futuro para as novas gerações, com muita luta, mas acredita que diferença dos jovens de hoje é o acesso à informação ampla sobre a história real do negro no mundo e a possibilidade de promover mudanças, principalmente por meio da educação.

A Comandante Elza, empossada este ano como Secretária Municipal de Segurança Urbana, afirma que muito já foi feito nas questões de violência contra mulher, mas ainda há um longo caminho. Segundo ela, a Mulher precisa se enxergar como sujeito de direitos que  passa a não depender desse homem e passa a se reconhecer como um ser que tem direito e poder.  

Mônica ressaltou sua vontade de continuar trabalhando no futuro e de ter a oportunidade de mostrar às pessoas que nunca é tarde para começar ou voltar a estudar. Confessa que entrou na faculdade de enfermagem aos 40 anos e foi o caminho que encontrou para melhorar sua vida e de sua família.

 Mas, todas afirmaram que vislumbram um futuro promissor, hoje os Negros já começam a ser vistos e representados, mesmo que ainda precisem lutar por direitos básicos como ter uma igualdade, afinal somos mais de 54% da população brasileira.

Disponibilizamos a live na íntegra para que possa assistir em nosso canal no youtube.com/movimentoar

https://youtu.be/SFYljimn0ZI

Movimento AR é uma mobilização voluntária, com propósito de realizar mudanças e transformações sociais através de ações efetivas de combate ao racismo, ao preconceito e à discriminação racial contra negros. O movimento é liderado pela Universidade Zumbi dos Palmares e pela ONG Afrobras.