CNN investiga suposto caso de racismo contra jornalista Basília Rodrigues

Fonte: portal Poder 360 / Alma Preta: https://www.poder360.com.br/midia/cnn-investiga-suposto-caso-de-racismo-contra-jornalista-basilia-rodrigues/

Comentários de outros funcionários

Emissora diz não tolerar discriminação

CNN está apurando suposto caso de racismo contra a jornalista Basília Rodrigues, comentarista política do canal desde março de 2020.

Segundo a agência de notícias Alma Preta, que publicou sobre o caso, houve reclamação interna sobre o cabelo da jornalista, que faz entradas ao vivo a partir de Brasília.

De acordo com relatos feitos ao Alma Preta, a edição do jornal Novo Dia, um dos quais a jornalista faz parte, chegou a reclamar que a jornalista estaria “descabelada”.

Se ela fosse loira e de olho azul, você não estava enchendo o saco dela”, teria respondido uma funcionária ao ouvir o comentário.

A pessoa responsável pela reclamação sobre o cabelo de Basília é apontada pela reportagem como Tatiana Mocelin. Ela diz que estava apenas repassando orientações da chefia de edição. Igor Peixoto é o atual editor do Novo Dia.

No episódio, Basília teria mudado o cabelo de um lado para o outro em uma de suas entradas. Com isso, uma parte ficou mais volumosa. Uma pessoa ouvida pela reportagem relatou que é comum que, em casos assim, o jornalista seja avisado para arrumar o cabelo.

Eu já cansei de ver esse tipo de orientação quando a pessoa está na bancada. Era a mesma coisa que deveriam ter feito: ‘Basília, quando você mexeu o seu cabelo de um lado para o outro, ele ficou fora do lugar. Só mexer ele de novo’. É um briefing e um cuidado para se ter com qualquer tipo de apresentador, e não tiveram com ela”, declarou.

O Alma Preta diz que a emissora também teria tentado “ocultar” a imagem da jornalista.

“Em recentes participações ao vivo de Basília Rodrigues, os editores de imagem também optaram por ocultar a comentarista, deixar apenas a voz dela e se utilizar de imagens de apoio para ilustrar as entradas ao vivo”, diz reportagem.

Ainda de acordo com o site, “houve também reclamações acerca das participações de Basília por conta do fundo do vídeo da sua casa, uma parede toda branca”.

CNN divulgou uma nota na noite de 5ª feira (15.abr.2021), depois que a notícia foi publicada, em que diz que a acusação é “gravíssima”.

“A CNN não tolera qualquer tipo de discriminação, seja racial ou de outra natureza, e apura com rigor e transparência qualquer denúncia”, lê-se na nota.

Em publicação feita em seu perfil no Twitter, Basília agradeceu o apoio recebido.

Agradeço às mensagens de solidariedade e apoio que recebi aqui de tantos amigos pessoais, colegas de trabalho e também de pessoas que não me conhecem. Agradeço também pela posição adotada pela CNN Brasil”, escreveu.

O relato é grave e está sendo apurado. Deixa reflexões para todos sobre o que não queremos ser, parecer, nem deixar dúvidas, sobre o que não queremos para nós, nem para os outros.