CNJ aprova vagas para negros nos concursos para cartórios do País

Atendendo à reivindicação do Movimento AR, representado por seu líder, reitor José Vicente, e proposição do Frei Davi dos Santos, da Educafro, no Observatório Nacional dos Direitos Humanos, o CNJ – Conselho Nacional de Justiça aprovou, esta semana, a inclusão de Cotas de 20% para negros, nos Concursos para ingresso em todos os Cartórios do País.

Esta aprovação se soma a outras iniciativas de promoção da equidade já realizadas pelo Judiciário, de acordo com lista de sugestões e reivindicações apresentadas em agosto, pelo Movimento AR, ao então presidente do CNJ, Ministro Dias Tofolli, tendo a destacar a aprovação de Cotas de 30% para jovens negros no postos de estágio do poder judiciário.

 Para José Vicente: “essa aprovação é importantíssima para inclusão, participação e empoderamento de jovens negros, social e economicamente. No Brasil, temos cerca de 13.627 cartórios, com 20 funcionários em média, podendo assim, a medida, resultar na disponibilização de 50 mil postos para negros. Não há duvidas que estamos, mais uma vez, diante de uma medida afirmativa de grande e poderoso impacto na igualização das oportunidades raciais”.

Movimento AR é uma mobilização voluntária, com propósito de realizar mudanças e transformações sociais através de ações efetivas de combate ao racismo, ao preconceito e à discriminação racial contra negros. O movimento é liderado pela Universidade Zumbi dos Palmares e pela ONG Afrobrás.