Candidatos a vereadores negros tiveram menos tempo de TV nas Eleições 2020

Fonte: revista Rolling Stone: https://rollingstone.uol.com.br/noticia/candidatos-a-vereadores-negros-tiveram-menos-tempo-de-tv-nas-eleicoes-2020/

O ideal é: cada partido deve proporcionar, em percentual, o mesmo tempo de TV para o percentual de candidatos – se existem 25% de pessoas negras concorrendo, deveriam ter 25% do tempo de propaganda política

Segundo pesquisa divulgada pelo GEMAA (Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa) em fevereiro de 2021, candidatos negros tiveram menos tempo de TV para apresentar suas propostas durante as propagandas eleitorais nas Eleições 2020. O estudo observou o tempo disponível para os candidatos em 11 capitais distribuídas pelo território nacional.

O estudo se baseia na diferença, em pontos percentuais, entre a proporção de tempo de TV (PPT) dedicada aos candidatos negros (pretos e pardos), e a proporção de tais candidatos por partido (PCN). Ou seja, quantos candidatos pretos cada partido tem, e se o tempo que receberam na TV é proporcional.

Se o partido possui 25% de candidatos a vereadores negros, a proporção ideal é dedicar 25% do tempo de TV disponível ao partido inteiro para eles – um número proporcionalmente igual. Se o tempo dedicado ao grupo for maior, é uma resultante positiva. Mas, qualquer porcentagem menor, é resultado negativo. Quanto mais próximo do 0, mais igual a uma distribuição par.

Com isso, se os vereadores citados acima tivessem conseguido 30% do tempo, possuiriam uma resultante de 5%. Porém, caso obtivessem menos tempo do que o proposto, como 10%, a resultante seria de -15%, um valor negativo.

Assim, partidos com resultantes positivas dedicaram mais tempo percentual aos candidatos pretos e pardos, e aqueles com porcentagens negativas disponibilizaram tempo inferior ao ideal, relacionado à proporção de candidatos por partido. 

Em São Paulo, sete partidos dedicaram mais tempo de TV, além do proposto aos candidatos negros. São eles: DEM (21%), PCdoB (18%), PSOL (18%), AVANTE (16%), MDB (15%), PATRIOTA (8%) e PTB (3%). Quatro obtiveram resultados negativos: PSC (-31%), PV (-29%), PT (-24%) e CIDADANIA (-18%).

No Rio de Janeiro, somente quatro partidos obtiveram resultantes positivas, dedicando mais tempo aos candidatos negros do que a proporção ideal. São eles: PCdoB (19%), NOVO (18%), PSD (10%), PDT (4%). Já estes dedicaram menos tempo: REPUBLICANOS (-30%), o PL (-26%), o PSL (-25%), o PSOL (-21%) e o PTB (-20%).

Na capital baiana, representante do maior número de candidaturas a vereadores negros (83%), 15 partidos dedicaram menos tempo, estando aquém do ideal, são destaques negativos: REPUBLICANOS (-26%), DEM (-16%), PL (-12%) e o PDT (-11%).

Belo Horizonte chamou a atenção por possuir apenas o PT (5%) como representante de diferença positiva, embora outros partidos possuam valores acima de zero, são bem próximos à paridade.

Recife possui a maior diferença entre a proporção de candidatos negros e de tempo na televisão. SOLIDARIEDADE (-50%), AVANTE (-39%), PV (-37%) e PSOL (-33%) são os partidos com menos espaço para candidaturas negras. E o CIDADANIA (22%) é o destaque com mais tempo de TV aos candidatos pretos e pardos.

A capital do Paraná, Curitiba, representante da maior proporção de candidatos brancos do país possui 13 partidos com saldo negativo na resultante.

Em Belém, segunda capital analisada com a maior proporção de candidaturas negras do país (77%), possui apenas três partidos – PSOL (12%), AVANTE (9%) e PV (9%) – que disponibilizaram mais tempo para tais candidatos.

A pesquisa completa sobre as Eleições 2020 pode ser conferida no site: http://gemaa.iesp.uerj.br