Brasileiro é acusado de racismo nos EUA

Fonte: jornal Brazilian Times: https://www.braziliantimes.com/comunidade-brasileira/2021/05/30/brasileiro-e-acusado-de-racismo-nos-eua.html

A direção do Grêmio, time do sul do Brasil, informou no dia 27 o desligamento do Cônsul

A direção do Grêmio, time do sul do Brasil, informou no dia 27 o desligamento do Cônsul Eduardo Ferrari, que representava o clube na cidade de Charlotte, Carolina do Norte. De acordo com as informações, o desligamento foi devido às publicações de cunho racista em suas redes sociais.

O departamento consular do Grêmio relatou que a manifestação racista não representa os valores que o clube defende e não condizem com o título de cônsul gremista.

“A exclusão de cônsul do Grêmio é um ato administrativo e já está definida. Agora a comissão de ética do conselho deliberativo vai analisar o caso e definir se ele será expulso do quadro social. Com a abertura do processo na comissão de ética do conselho, o sócio terá direito de defesa, e após isto será definido se ele será ou não expulso do quadro social”, revelou o presidente gremista Romildo Bolzan Júnior, em contato com a reportagem da Goal.

As publicações racistas de Eduardo Ferrari foram expostas pelo jornalista Caio Alves, da ESPN.

Esta não é a primeira vez que o clube tem seu nome ligado a caso de racismo. Em 2014 o Grêmio acabou sendo excluído da Copa do Brasil após um caso de racismo contra o goleiro Aranha, na época no Santos. A partida foi disputada na Arena do Grêmio. Durante o jogo as câmeras flagraram uma torcedora chamando o goleiro de macaco. O arqueiro do Santos chamou a arbitragem e relatou que estava sofrendo ofensas racistas.

Por este motivo o Grêmio foi a julgamento no STJD e acabou sendo excluído da competição. Desde então, a direção gremista vem reforçando ainda mais a importância de se combater o racismo dentro e fora de um estádio de futebol.