WhatsApp-Image-2020-10-16-at-11.50.06-1

Benedita e Marina Silva recebem homenagem da Universidade Zumbi dos Palmares

“Nunca antes na história de nosso País o Zumbi dos Palmares precisou ser tão solicitado para que continuasse nos iluminando e abrindo nossas mentes e corações para o que foi a sua luta, o seu gesto, a entrega pela qual disponibilizou sua vida, seus sonhos e realizações”, José Vicente, líder do Movimento AR”.

Um dos principais nomes do protagonismo da defesa da cultura negra, do combate ao racismo e todas as formas de intolerância racial em nosso País, fundador da Afrobras, Universidade Zumbi dos Palmares e do Movimento AR, José Vicente começou sua homenagem às duas heroínas negras brasileiras, ex-ministras do Brasil, como uma forma de protestar contra os desmandos que vem acontecendo.

Dia 16 de outubro, de forma simbólica, José Vicente nomeou duas salas de sua Universidade Zumbi dos Palmares  numa cerimônia íntima, restrita propositalmente, apenas a seus colaboradores mas com um grande sentimento de inconformismo e do dever de não se calar aos desmandos das últimas ações em nosso cenário com a exclusão de Benedita da Silva e Marina Silva, duas mulheres negras que, ao longo de décadas de muita luta defenderam nosso País e os negros.

Como sempre fez, José Vicente deu voz aos jovens e convidou  o estudante do 7º semestre em direito da Universidade Zumbi dos Palmares, Rodrigo Manuel Leitão e a advogada, formada em 2019 pela Universidade Bárbara Oliveira, para cantar a música “Sou Negro Sim” de autoria de Eliana De Lima. O aluno Rodrigo ainda teve a oportunidade de ler o texto, de sua autoria, que fez ao saber da  exclusão do nome de Benedita e Marina Silva como personalidades negras da Fundação Zumbi dos Palmares:

“Contra toda forma de preconceito eu luto

Sendo escuro como a noite e preto como o luto

Dói na alma e no coração quando escuto, que um preto como eu não luta a luta que eu luto

e vai contra tudo, pelo que nossos antepassados lutaram no mundo

vivemos dias difíceis

dias de luta e luto

luta que nos acompanha no dia a dia

luto que vem assolando nossas famílias

luta que faz a gente manter a cabeça erguida

luto que se abre como uma eterna ferida

luta contra o opressor da mesma cor

que nos acusa, e não poupa esforços para nos colocar amarras e correntes

calando nossa voz e limitando nossos passos

haaaa esses capitães do mato

não sabem o tamanho da nossa força

por essas e outras eu luto

a luta para que os nossos saiam do luto

e acredito

que esse dia um dia chegará”

Movimento AR é uma mobilização voluntária, com propósito de realizar mudanças e transformações sociais através de ações efetivas de combate ao racismo, ao preconceito e à discriminação racial contra negros. O movimento é liderado pela Universidade Zumbi dos Palmares e pela Ong Afrobras.