‘Atitudes de Lumena, Karol Conká, Nego Di e Projota dão instrumento para racistas’, diz Taiguara Nazareth

Fonte: Rádio Jovem Pan / Programa Pânico: https://jovempan.com.br/programas/panico/atitudes-de-lumena-karol-conka-nego-di-e-projota-dao-instrumento-para-racistas-diz-taiguara-nazareth.html

Em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, nesta quarta-feira, 10, o ator Taiguara Nazareth refletiu sobre o racismo no Brasil e afirmou que os participantes negros da 21ª edição do Big Brother Brasil estão ‘invalidando’ a luta antirracista. “O Nego Di não é militante, sempre falou asneiras. A Karol Conká e o Projota não estão diretamente envolvidos com a luta nas ruas, mas militavam com suas músicas. A Lumena, que encarnaria a questão da militância por ser uma mulher negra, baiana, lésbica, DJ de ‘pancadão’ e mestre em psicologia, é a participante que mais perdeu a mão. Ela, infelizmente, está fazendo uma militância seletiva, está militando fora de hora, no lugar errado, de forma errada e com linguagem agressiva. Também não entendo como a Karol foi capaz de maltratar tanto o Lucas, até porque é mãe de um adolescente preto. A cantora já perdeu, até agora, o equivalente a R$ 5 milhões em trabalho”, disse.

“No reality show, as atitudes deles estão dando instrumento para racistas e invalidando a luta antirracista. Para o público, eles passam a impressão de que representam todo o povo preto, mas não é assim que funciona. Somos indivíduos, somos plurais. Por conta disso, precisamos nos defender a todo tempo dos ataques nas redes sociais impulsionados pelas ações dos participantes.” Segundo Taiguara, o racismo no Brasil se manifesta para além da cor da pele, seguindo também os padrões socioeconômicos e atingindo com maior frequência as camadas mais pobres da sociedade.

O ator, que é amigo íntimo do ex-BBB Lucas Penteado, também recordou, durante a entrevista, os bastidores da desistência de Koka do “BBB 21“. “Conheço o Lucas desde criancinha porque ele frequenta com a família a Escola de Samba Vai-Vai, a mesma que eu sempre frequentei. Quando o Lucas entrou no BBB, não contratou uma equipe de assessoria, por isso me voluntariei para ajudei a cuidar das redes sociais dele. Foi difícil, o menino causou no reality. Mas ele se desculpou e, mesmo pedindo perdão, foi muito julgado como errado em diversas outras situações. Julgaram até o beijo que ele deu. Antes do programa, não sabia da bissexualidade dele – o que jamais seria um problema, mas foi um choque porque ele deu um beijão. O beijo do Fiuk com a Thais foi horrível, já o do Lucas com o Gil teve paixão e tesão. Até mesmo no dia em que ele desistiu, tudo foi muito pesado porque as meninas fecharam um círculo em torno dele para julgá-lo. Ele chorou por duas ou três horas seguidas. Desde que saiu, tem sido só alegria. O Brasil abraçou o moleque. Quando o Lucas chegou no hotel, já encontrou amor. Quando foi para o aeroporto, já tinha gente para abraçá-lo. Ao chegar em São Paulo, na quebrada, foi amor puro”, concluiu Taiguara Nazareth.