Ataques racistas: acabar com o anonimato nas redes sociais é o melhor caminho?

Fonte: portal UOL: https://www.uol.com.br/tilt/noticias/bbc/2021/02/02/ataques-racistas-acabar-com-o-anonimato-nas-redes-sociais-e-o-melhor-caminho.htm

Depois que o jogador de futebol Marcus Rashford e outros atletas enfrentaram abusos, ativistas pedem que as regras dos aplicativos e sites sejam repensadas. Os gigantes das mídias sociais estão novamente no banco dos réus público por causa do fracasso em policiar suas plataformas de forma eficaz. O problema da vez é a onda de comentários e mensagens racistas enviados ao atacante Marcus Rashford, do Manchester United .

Além de Rashford, outros jogadores da Premier League, o campeonato inglês, estão enfrentando a mesma situação em seus perfis, o que tem gerado pedidos de ações mais contundentes. A cada dia, a pressão aumenta para que Twitter, Instagram e outras plataformas façam algo para impedir o envio de mensagens de ódio.

Essas empresas estão sendo instadas a usar sua experiência em inteligência artificial para detectar mensagens racistas, mesmo enquanto elas estão sendo escritas, e incentivar que os autores repensem o envio ou até os impeça de publicar. Outra ideia que está ganhando força é acabar com o anonimato nas redes sociais, para que, assim, os racistas possam ser rastreados.

Informação verificada

Margaret Hodge, representante do Partido Trabalhista do Reino Unido, diz receber milhares de tuítes abusivos todos os meses. Em dezembro de 2020, ela pediu a proibição do anonimato para usuários de mídia social.

“As pessoas argumentam que o anonimato permite a participação democrática adequada, mas acho que os danos superam os benefícios”, disse ela ao jornal The Guardian. Os ativistas antirracistas não estão dizendo que todos precisam necessariamente postar em seus próprios nomes, mas, sim, dar às redes sociais um meio de identificá-los se eles infringirem a lei.

“Você precisa ter essa verificação de informação para que, se alguém abusar do privilégio do anonimato, esse dado possa ser compartilhado de forma rápida e transparente com as autoridades”, disse Sanjay Bhandari, executivo-chefe da Kick It Out, uma organização que trabalha para acabar com o racismo no futebol e na sociedade, ao programa de rádio BBC Radio 4’s Today nesta segunda-feira (01/02).