Artigo de Deo Garcez para Movimento AR

A importância do Movimento AR e de ações antirracistas como essa para nossa sociedade.

Os Manifestos, debates e ações concretas são de suma importância para combater o racismo. Como sabemos, ele se traduz em violência de todo tipo, como a policial, hoje tão em evidência, em apagamentos e mortes, em desigualdade social e econômica, e nas múltiplas formas de exclusão pelas quais sofre nossa população negra brasileira e mundial.

Então, iniciativas como o Movimento Ar, são muito bem-vindas e louváveis. É inaceitável que em pleno século XXI, após tantas lutas de movimentos abolicionistas, do movimento negro e outras ações sociais, após tantas conquistas civilizatórias históricas, como a Declaração dos Direitos Humanos, ainda tenhamos que lutar por uma verdadeira abolição e por direitos humanos fundamentais, ainda hoje violados cruelmente para com os povos negro e indígena.

Felizmente temos ações como esta, que seguem também os passos de tantos heróis e heroínas negras, a exemplo de Luiz Gama (o Patrono da Abolição da Escravidão no Brasil), Luiza Mahin, Zumbi, José do Patrocínio, Esperança Garcia, Martin Luther King, Nelson Mandela e Malcolm X, para citar alguns.

Parabéns à Faculdade Zumbi dos Palmares e seu reitor José Vicente, à Afrobras e à Agência Grey por tão bela e grande ação afirmativa e reparadora no sentido de amenizar a dívida secular que o Brasil tem para com as pessoas negras aqui escravizadas, marcadas pelas barbaridades que sofreram decorrentes do cruel regime escravocrata.

Como resistiu Luiz Gama ao gritar por justiça, direitos e liberdade: “Em nós até a cor é um defeito, um imperdoável mal de nascença, o estigma de um crime. Mas nossos críticos se esquecem que essa cor é a origem da riqueza de milhares de ladrões que nos insultam. Que essa cor convencional da escravidão, tão semelhante à da terra, abriga, sob sua superfície escura, vulcões, onde arde o fogo sagrado da liberdade!”.  E eu complemento: “A liberdade e a Igualdade não são privilégios e sim direitos de qualquer pessoa”. 

Artigo elaborado Deo Garcez, ator, autor, produtor, professor para o Movimento AR